Publicado em Deixe um comentário

Dieta Low FODMAPS : O guia para reduzir o inchaço e o desconforto intestinal.

A dieta com baixo teor de FODMAPs vem ganhando popularidade nos últimos anos como uma forma de reduzir o desconforto intestinal e o inchaço, mas é importante lembrar que essa abordagem dietética deve ser adaptada às necessidades específicas de cada indivíduo. 

Embora a pesquisa tenha mostrado que a dieta é eficaz na redução dos sintomas da Sindrome do Intestino Irritável (SII), ainda existem alguns riscos associados à sua implementação sem acompanhamento como deficiências nutricionais ou desnutrição. 

Por isso é importante consultar um nutricionista antes de iniciar qualquer mudança importante no seu estilo de vida ou hábitos alimentares. A dieta com baixo teor de FODMAPs pode ajudar a reduzir os sintomas de inchaço e desconforto para muitos indivíduos, mas não é uma solução única e deve ser implementada com cautela.

O que são FODMAPs.

A dieta com baixo teor de FODMAPs foi desenvolvida por pesquisadores da Monash University, na Austrália, como uma forma de ajudar as pessoas com Síndrome do Intestino Irritável (SII) a controlar seus sintomas. 

É uma abordagem dietética que envolve limitar ou eliminar certos alimentos ricos em carboidratos fermentáveis que têm sido associados ao desconforto digestivo.

“FODMAP” significa Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides And Polyols, todos tipos de carboidratos fermentáveis ​​encontrados em alguns alimentos que podem causar desconforto gastrointestinal quando consumidos em grandes quantidades.

Ao reduzir ou eliminar esses alimentos de sua dieta, você pode ajudar a reduzir os sintomas da SII, como inchaço, gases e dor abdominal.

Ao evitar alimentos com alto teor de FODMAPs ou seguir uma dieta com baixo teor de FODMAP, esses sintomas são reduzidos.

Como os FODMAPs podem causar desconfortos ?

Alimentos com alto teor de FODMAPs podem causar desconfortos digestivos de duas maneiras: 

1 – Por sua difícil digestão, podem levar muita água para o intestino, o que pode causar inchaço.

2- Sua decomposição é feita por bactérias que produzem gás como subproduto. 

A intolerância à lactose, por exemplo, é causada pela incapacidade de digestão do dissacarídeo,resultando em problemas como náuseas, diarréia e gases.

Como pessoas diferentes são afetadas de maneira diferente por diferentes tipos de FODMAPs, é importante identificar quais podem estar desencadeando seus problemas digestivos específicos antes de iniciar uma dieta.

Como funciona a dieta LOW FODMAPs?

Ao reduzir ou eliminar certos tipos de carboidratos de sua dieta, você pode minimizar o desconforto digestivo causado pela intolerância a esses compostos.

Quando consumidos em grandes quantidades, esses carboidratos são fermentados por bactérias no intestino, o que causa a produção de gás, levando ao inchaço, aumento da permeabilidade intestinal , inflamação e outros sintomas associados à SII, como diarréia ou constipação.

Seguindo um planejamento alimentar com baixo teor de FODMAPs, você pode reduzir ou eliminar muitos desses sintomas desconfortáveis ​​sem ter que recorrer a medicamentos ou tratamentos invasivos.

Diferença entre alimentos com alto teor de FODMAPs e alimentos com baixo teor de FODMAPs

Alto teor de FODMAPs

Alimentos ricos em FODMAPs incluem aqueles que contêm lactose (carboidrato do leite), frutose (carboidrato da fruta), frutanos (um tipo de carboidrato encontrado no trigo) polióis (adoçantes como xilitol e sorbitol). 

Vegetais: cebola, alho, aspargo, alcachofra, ervilha, beterraba, couve, aipo, milho, couve-flor

Frutas: maçã, pera, manga, melancia, pêssego, ameixa, abacate 

Leite e derivados: leite de vaca, iogurte, queijo fresco, ricota, creme de leite, sorvete 

Proteínas: feijão, grão-de-bico, soja 

Pães e cereais: trigo ou centeio e massas

Industrializados:com xarope de milho, glicose, sacarose e adoçantes como xilitol, manitol e sorbitol Oleaginosas: castanha-de-caju, pistache

Baixo teor de FODMAPs

Alimentos com baixo teor de FODMAPs incluem frutas como morangos e laranjas, grãos como quinoa, nozes e sementes, legumes como lentilhas e grão de bico, carnes, peixes e aves (sem adoçantes ou molhos adicionados).

Vegetais: alface, abobrinha, berinjela, espinafre, cenoura, pepino, ervas aromáticas 

Frutas: tomate, banana, laranja, tangerina, uva, melão, kiwi, morango, framboesa, maracujá, abacaxi 

Leite e derivados: leite de vaca, iogurte e queijo, todos sem lactose, queijos duros e leite de amêndoas 

Proteínas: carne, peixe, frango, tofu Pães e cereais: massas sem glúten, aveia, arroz, quinoa 

Industrializados: biscoito sem glúten, bolacha de arroz Oleaginosas: amêndoas e sementes de abóbora

Ao seguir o plano de dieta com baixo teor de FODMAP, você pode reduzir a ingestão de carboidratos fermentáveis, o que pode ajudar a melhorar a saúde intestinal. Isso ocorre porque esses carboidratos são decompostos por bactérias no intestino, levando a um aumento na produção de gases e inchaço, portanto, reduzir sua ingestão ajuda a minimizar esse efeito.

Além disso, como os alimentos com alto teor de FODMAPs podem causar aumento da permeabilidade intestinal e consequentemente aumento do risco de infecções e inflamação sistêmica.

Dieta Low FODMAPs: o que é e como funciona.

Vários ensaios clínicos e estudos observacionais foram conduzidos para examinar a eficácia de uma dieta com baixo teor de FODMAPs no tratamento da SII e outros distúrbios gastrointestinais. 

Vários estudos randomizados controlados descobriram que seguir uma dieta com baixo teor de FODMAPs reduziu significativamente os sintomas GI gerais, incluindo inchaço, dor abdominal, flatulência, constipação e diarréia em comparação com as dietas iniciais.

Além disso, um estudo observacional descobriu que a adesão à uma dieta baixa em FODMAPs foi associada à melhoria da qualidade de vida entre os pacientes com SII .

O papel do microbioma intestinal na SII e como uma dieta com baixo teor de FODMAPs pode melhorar a flora intestinal.

A evidência que apoia o papel da disbiose intestinal (um desequilíbrio entre bactérias benéficas e bactérias nocivas) na patogênese da SII continuou a crescer ao longo dos anos.

Uma revisão sistemática recente descobriu que indivíduos com SII tinham níveis significativamente mais baixos de espécies de Bifidobacteria em comparação ao grupo controle. Isso sugere que restaurar o equilíbrio dentro do microbioma pode ser essencial para melhorar a saúde GI. 

A pesquisa mostrou que seguir uma dieta baixa em FODMAPs pode levar a uma melhoria na diversidade microbiana entre indivíduos com desconforto digestivo, como dor abdominal ou inchaço. 

Além disso, dois estudos prospectivos demonstraram níveis aumentados de espécies bacterianas benéficas, como Bifidobacterium longum, após apenas um mês em uma Dieta Low Fodmap.

Os efeitos a longo prazo da dieta baixa em FODMAPs na saúde intestinal.

Embora ainda haja muita pesquisa necessária em relação à adesão a longo prazo a essa abordagem dietética, alguns estudos forneceram informações sobre seus benefícios potenciais quando seguidos de forma consistente ao longo do tempo. 

Em um pequeno estudo de casos envolvendo 24 participantes que seguiram uma dieta Low Fodmaps por três meses, relataram melhorias significativas na dor abdominal, nas classificações de gravidade da distensão/inchaço e nos escores gerais de qualidade de vida.

Curiosamente, esses resultados positivos persistiram mesmo após a reintrodução de certos grupos de alimentos em suas dietas nas visitas de acompanhamento. 

Essas descobertas sugerem que, ao tomar medidas como limitar os alimentos com alto teor de fodmaps em suas refeições diárias, você pode experimentar um alívio consistente dos problemas gastrointestinais.

Como ter sucesso ao fazer a dieta LOW FODMAPs?

Organização

A preparação dos alimentos e o planejamento das refeições são essenciais para o sucesso na dieta com baixo teor de FODMAPs. Garantir que você tenha tudo o que precisa em sua geladeira facilita a adesão à dieta.

Verificando a despensa

Certifique-se de ter muitos alimentos básicos saudáveis ​​e com baixo teor de FODMAPs disponíveis para suas preparações.

Aprenda a ler os rótulos dos alimentos: 

Saber quais ingredientes são ricos em FODMAPs é a chave para escolhas bem-sucedidas no mercado ou no menu de um restaurante. Você deve ficar atento a certas palavras como frutose ou xarope de milho, que podem ser fontes de FODMAPs em alimentos e preparações.

Monitore sua rotina

Anotar o que você come todos os dias pode ajudá-lo a identificar padrões de surtos e sintomas, identificando quais alimentos você não tolera bem.

Por que você precisa de um nutricionista para iniciar uma dieta LOW FODMAPs?

Trabalhar com uma nutricionista pode ser a chave para implementar com sucesso a dieta baixa em FODMAPs e alcançar a saúde intestinal a longo prazo. 

O profissional fornecerá orientações sobre como escolher os alimentos certos, garantir uma nutrição adequada e criar um plano alimentar adequado às suas necessidades. Além disso, um profissional pode ajudá-lo a identificar quaisquer intolerâncias ou alergias alimentares que devam ser levadas em consideração ao planejar sua dieta.

Ao trabalhar em colaboração com um profissional, você pode fazer mudanças na dieta gradualmente, enquanto monitora seu progresso ao longo do caminho. 

Esse acompanhamento permite que você experimente diferentes alimentos com segurança, garantindo a ingestão ideal de nutrientes e abordando possíveis problemas como intolerâncias ou deficiências alimentares desde o início, antes que se tornem problemas para sua saúde e bem-estar geral.

AGENDE SUA CONSULTA E OBTENHA MAIS BENEFÍCIOS:

Para aqueles que sofrem de SII ou outros problemas digestivos, adotar uma dieta baixa em FODMAPs pode ser uma ótima maneira de reduzir os sintomas e melhorar a saúde do intestino. No entanto, antes de iniciar qualquer novo plano alimentar, é importante consultar um nutricionista para avaliação de suas necessidades individuais. 

Com orientação e suporte adequados, a dieta com baixo teor de FODMAPs pode ser uma ferramenta eficaz para melhorar sua saúde digestiva e qualidade de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *